DISTRITO ESCOTEIRO ALTO VALE E PLANALTO

RAMO PIONEIRO

RAMO PIONEIRO

 O Clã Pioneiro é um círculo de amizade onde ser reúnem os  jovens adultos de 18 a 21 anos. O programa educativo e as etapas do pioneiro(a) visam aumentar a integração do jovem ao mundo, voltando-se ao exercício de cidadania pelo serviço comunitário, tendo por base as 10 Virtudes da Mesa Pioneira que são um entendimento mais maduro da Lei Escoteira.   O lema pioneiro é SERVIR, o que o lança para auxiliar seu grupo, sua comunidade e todos aqueles que necessitam de apoio. O pioneiro é alguém que se lança com força contra o egoísmo sendo um “cavaleiro” a favor do bem e dos menos favorecidos.   

RAMO PIONEIRO

A unidade onde ficam os pioneiros e pioneiras é chamado de Clã. O Clã é orientado por um Mestre Pioneiro e/ou uma Mestra Pioneira que podem ter seus assistentes. A Comissão Administrativa do Clã, formada pelos pioneiros, é a autoridade para tratar de todos os assuntos internos de administração, finanças, disciplina e programação da seção. O Mestre, é um conselheiro mais experiente que participa da vida do Clã.

 LEMA “SERVIR” 
 
A ORIGEM DO LEMA PIONEIRO “SERVIR”
 

O Lema Pioneiro “SERVIR” foi adotado por B.P. com base no escudo de armas do Príncipe de Gales, título que até hoje é utilizado pelo futuro herdeiro da Coroa Britânica.

Se observarmos atentamente o escudo, nos depararemos com um detalhe curioso: a inscrição que se encontra no liste diz “ICH DIEN”, que não é um termo da língua inglesa, mas do alemão antigo.

Esse escudo pertencia ao rei João de Luxemburgo, filho do Imperador Henrique VII, da Prússia (atual Alemanha). O rei João foi morto na batalha de Crecy quando combatia a Inglaterra, que estava sob o comando do filho do Rei da Inglaterra, chamado de Príncipe Negro.

Terminado a batalha de Crecy, os estandartes ingleses anunciavam a vitória do Príncipe Negro, que cavalgando pela arena, encontrou o corpo do Rei morto. Sendo informado dos pormenores da morte do Rei, ficou impressionado com a nobreza e dedicação de João, pelo que decidiu levar seu escudo daquele lugar.

Tempos depois, o escudo do Príncipe de Gales estava formado por uma coroa adornada por três plumas de avestruz, em posição assemelhada de uma flor de lis, tendo na parte inferior um listel com os dizeres “ICH DIEN”, “EU SIRVO”, em língua alemã.

B.P. considerou que a herança que guarda a palavra “SERVIR” é digna de ser portada por todos aqueles que, em suas ações e palavras, demonstram, com orgulho e honra, o espírito de ser um Verdadeiro Pioneiro.

COMO SURGIU O CLÃ

 A 1ª guerra mundial, de 1914, impediu que muitos jovens prosseguissem em seus grupos e ao seu término eles começaram a retornar porém sem idade para serem escoteiros. Assim, em setembro de 1918, foi escrito um folheto intitulado “Regulamento dos Rovers” (Pioneiros), dentro do Movimento Escoteiro. Em 1920 foram publicados, em duas partes, “Notas sobre o Adestramento dos Rovers”. O passo seguinte, importante para o desenvolvimento do Pioneirismo, foi a publicação por Baden Powell de seu livro “Caminho para o Sucesso”, com o objetivo de estimular, inspirar e aconselhar, livro totalmente voltado parao desenvolvimento do Ramo Pioneiro.

No Brasil, o Ramo Pioneiro começou a ser organizado na década de 20 pela Federação Brasileira de Escoteiros do Mar que mantinha um “círculo de pioneiros – CIP”, onde reunia os pioneiros de diversos grupos, ao redor da Mesa Pioneira com as virtudes. O primeiro Clã Pioneiro do Brasil foi o Clã Tiradentes do 10º Grupo Escoteiro do Mar Décimo/RJ, que hoje se encontra como responsável pela Mesa Pioneira histórica do CIP.

SÍMBOLOS DO RAMO PIONEIRO 

   A Flor-de-lis:  símbolo  do  Movimento  Escoteiro,  variando  de  associação   para associação, provem de antigos mapas que a utilizam na rosa dos ventos para indicar o Norte. Segundo Baden Powell, representa “o bom caminho que todo escoteiro há de seguir”.

A Forquilha: a forquilha encerra em seu simbolismo o firme propósito do Pioneiro investido em continuar enriquecendo o processo de sua vida por pensamentos e ações melhores. A forquilha varia de tamanho, de acordo com a estatura do pioneiro, devendo o seu comprimento ser igual à medida do chão à axila do seu portador. A forquilha é feita de um galho de árvore e se constitui de quatro partes: 

·         Ponteira: na parte inferior da haste, representa, simbolicamente, a base de toda a vida do Pioneiro, ou seja, seu caráter sem mancha;
·         Haste: representa o caminho reto que o Pioneiro deve palmilhar, em sua vida, como homem de caráter, consciente de suas responsabilidades;
·         Nós da haste: são as dificuldades, os obstáculos a serem transpostos no seu caminhar pela estrada da vida;
·         V da forquilha: simbolicamente, é a vitória, coroando uma vida dignificante, honesta, profícua.

A Mesa Pioneira: A mesa pioneira usada nas reuniões tem um tampo circular, dividido em setores, cada um representando uma virtude que deve ser exercitada e vivida pelo (a) Pioneiro (a). Essa mesa,é uma reminiscência da “Távola Redonda” criada pelo Rei Arthur. Seus cavaleiros se colocavam em volta de uma “Távola” (mesa) redonda, circular, como prova de igualdade, sem preferências.  

A Caverna Pioneira: é uma sala junto à sede do Grupo Escoteiro, usada para as atividades internas do Clã e dos pioneiros, como: reuniões, debates, jogos, etc.. A decoração, manutenção e limpeza da caverna deve ser de responsabilidade do Clã. Os elementos para a decoração devem ser buscados na Mística e nas tradições do Clã.

A Carta Pioneira: é o regimento interno do Clã e deve representar a opinião de todos os Pioneiros (as), contendo os princípios nos quais os Pioneiros vão basear sua conduta e as disposições consideradas necessárias para que possam reger o Clã. A Carta não pode entrar em desacordo com o P O R nem com os estatutos da UEB ou com o regulamento do GE.

As Cerimônias: as cerimônias no ME têm profundo valor psicológico. Devem ser curtas, simples e sinceras para marcar o indivíduo para o resto de sua vida. Devem ser evitados os excessos e simbologias ou tradições inadequadas e, às vezes, até contrárias ao espírito escoteiro.

A Vigília: embora seja uma atividade do Programa Pioneiro, a vigília pode ser considerada um marco simbólico do Ramo Pioneiro, pois é a partir dela que o jovem define seus valores, sua conduta e sente-se capaz de assumir um compromisso para seu futuro. A vigília é um processo de auto-avaliação, na qual o (a) pioneiro (a), através de uma reflexão individual, mas orientada, faz uma avaliação de seu passado, de sua vida presente e o nível de engajamento no Clã, no ME e na sociedade, como cidadão que é. Após fazer esse exame de consciência e procurar definir-se, o jovem faz uma projeção do que pretende que seja o seu futuro e que compromissos buscará assumir diante de si mesmo, de sua família e do Clã.

A Coruja: por ver no escuro e ser considerada séria e dada à meditação, a coruja é símbolo da sabedoria que atravessa a escuridão da ignorância, por isso sua ligação com a vigília pioneira.  

Os demais símbolos são: uniforme ou traje, lenço escoteiro, aperto de mão, saudação, cadeia da fraternidade, fogo de conselho e grito do Clã (ou a canção criada pelo Clã).

VIRTUDES PIONEIRA
VERDADE  
O Escoteiro tem uma só palavra; sua honra vale mais do que a própria vida.
LEALDADE  
O Escoteiro é leal.
ALTRUÍSMO  
O Escoteiro está sempre alerta para ajudar o próximo e pratica diariamente uma boa ação.
FRATERNIDADE  
O Escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais Escoteiros.
O Escoteiro é cortês.
BONDADE
O Escoteiro é bom para os animais e as plantas.
O Escoteiro é obediente e disciplinado.
FELICIDADE  
O Escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades.
CONSCIÊNCIA  
O Escoteiro é econômico e respeita o bem alheio.
PUREZA  
Escoteiro é limpo de corpo e alma.

UNIFORME DOS PIONEIRO

 
 
 
 


 

 
%d blogueiros gostam disto: